Interaja - Compartilhe


Assista



Essa Luta Muda SP
Instagram

 
Aurélio no Hall da Fama do Judô



Ao lado de outras 20 lendas, Aurélio Miguel inaugura Hall da Fama do judô

Primeiro campeão olímpico da modalidade no país é o único brasileiro na lista de 21 nomes homenageados pela Federação Internacional de Judô no Rio

Fonte: Globoesporte.com

Em 1988, Aurélio Miguel se tornou o primeiro judoca brasileiro a conquistar uma medalha de ouro em Olimpíadas, nos Jogos de Seul. Vinte e cinco anos depois, o paulista de 49 anos também é o primeiro atleta do país a entrar para o recém-criado Hall da Fama do Judô. A lista com 21 lendas do esporte inclui o japonês Jigoro Kano, fundador da arte marcial no século XIX e falecido em 1938. Aurélio Miguel recebeu a homenagem da Federação Internacional (FIJ) neste domingo, em cerimônia realizada em um hotel em Copacabana, na véspera do início do Mundial do Rio de Janeiro. O campeão olímpico da categoria meio-pesado recebeu o prêmio das mãos do presidente da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Paulo Wanderley Teixeira.

- A atual gestão da Federação Internacional está fazendo um trabalho magnífico na transformação do judô mundial. Acredito que o Hall da Fama vai valorizar os atletas que se destacaram e contribuíram para levar o esporte para todo o mundo. Me sinto muito feliz por fazer parte dessa lista. Eu agradeço primeiro ao meu país e a todos os meus mestres, e também ao Japão, que sempre abriu as portas aos atletas de outros lugares para incentivar a prática do judô. O Japão é uma lição para nós, porque mesmo sendo nosso adversário nas competições, sempre nos recebeu muito bem por lá - comemorou o ex-judoca.

Além do ouro em Seul, na Coreia do Sul, Aurélio também conquistou um bronze nos Jogos de Atlanta, nos Estados Unidos, em 1996. Apesar das duas medalhas olímpicas, o paulista, que hoje é vereador da cidade de São Paulo, não conseguiu o título mundial adulto. Ele bateu na trave três vezes: bronze em Essen, na Alemanha, em 1987; prata em Hamilton, no Canadá, em 1993; e prata em Paris, na França, em 1997. Só conseguiu ser campeão mundial na categoria júnior, em Mayaguez, Porto Rico, em 1983.

Com problemas respiratórios na infância, Aurélio Miguel encontrou no judô, logo aos 4 anos de idade, uma solução para tentar melhorar sua saúde. Começou no São Paulo e depois passou a treinar na Academia da Vila Sônia com seu primeiro mestre, Massao Shinohara - pai do atual técnico da seleção masculina, Luiz Shinohara.

A lista com 21 lendas do judô de todo o mundo ainda conta com nomes como a da belga Ingrid Berghmans, detentora do maior número de medalhas em edições de mundiais, com 11 no total (sesi ouros, quatro pratas e um bronze); da japonesa bicampeã olímpica em Sydney 2000 e Atenas 2004 e sete vezes campeã mundial Ryoko Tani, considerada por muitos como a melhor judoca de todos os tempos; e do japonês Kosei Inoe, ouro olímpico em 2000 e tricampeão mundial consecutivo (1999, 2001 e 2003).

O campeão olímpico acredita que o Brasil tem potencial de sobra para emplacar muitos outros nomes no Hall da Fama, como Rogério Sampaio, que conquistou uma medalha de ouro nos Jogos de Barcelona, em 1992, e João Derly, bicampeão mundial da categoria meio-leve em 2005 e 2007. O ex-judoca prevê que a geração de Tiago Camilo, Leandro Guilheiro e Sarah Menezes também será eternizada na lista futuramente.

- Eu estou muito lisonjeado e orgulhoso. É uma honra muito grande para mim entrar nesse Hall junto com o fundador da nossa modalidade, Jigoro Kano. O Brasil tem vários atletas com condições para fazer parte dessa lista. Temos o Rogério Sampaio, nosso campeão olímpico, o João Derly, primeiro bicampeão mundial do Brasil, a Sarah Menezes, que vai ganhar muita coisa ainda, Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, são muitos nomes. O Brasil tem grandes atletas e sem dúvida alguma vai ajudar a preencher esse Hall - afirmou Aurélio Miguel.

A cerimônia em Copacabana contou com a presença do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, que exaltou a homenagem a Aurélio Miguel. Nuzman também elogiou a atual fase do judô brasileiro, que despontou como um dos esportes com mais chances de medalhas para o Brasil nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016.

- É mais do que justo o Aurélio Miguel entrar no Hall da Fama. Ele é um atleta excepcional e um ser humano extraordinário. Eu fico muito feliz por ver que tudo o que ele representa para o esporte brasileiro está sendo reconhecido hoje pela Federação Internacional de Judô. O Brasil tem grandes campeões e medalhistas no judô. O foco dos atletas nas competições faz toda a diferença. O trabalho da Confederação Brasileira é magnífico. Eu diria que o judô é um exemplo para o esporte brasileiro - avaliou o presidente do COB.

Tiago Camilo é indicado para eleição da Comissão dos Atletas

Durante o Mundial do Rio, a FIJ vai promover uma renovação dos membros da Comissão dos Atletas. E o brasileiro Tiago Camilo, que foi cortado do Mundial na última semana, é o único representante do continente americano entre os 18 indicados. Os próprios atletas votarão do dia 26 ao dia 29 de agosto para escolher os novos cinco membros, que terão que ter mais de 18 anos, terem participado de pelo menos uma Olimpíada ou Mundial e nunca terem sido condenados por doping. O nome dos escolhidos será conhecido no próximo sábado.

Quatro atletas já foram nomeados pelo presidente reeleito da FIJ, Marius Vizer, e se tornaram membros da Comissão dos Atletas automaticamente. Os campeões olímpicos em Londres 2012 Teddy Riner, da França, Kayla Harrison, dos Estados Unidos, e Kim Jae-Bum, da Coreia do Sul, além da romena Alina Dumitru, prata nas últimas Olimpíadas sendo derrotada pela brasileira Sarah Menezes na decisão da categoria ligeiro.

Atletas homenageados no Hall da Fama

Jigoro Kano (JAP)

Patrick Hickey (IRL)

Ingrid Berghmans (BEL)

George Kerr (GBR)

Jean Luc Rouge (FRA)

Willem Ruska (HOL)

Charles Palmer (GBR)

Franco Capelletti (ITA)

David Douillet (FRA)

Aurélio Fernandez Miguel (BRA)

Mohamad Ali Rashwan (EGI)

Vladimir Nevzorov (RUS)

Ryoko Tani (JAP)

Robert Van de Walle (BEL)

Anton Geesink (HOL)

Ezio Gamba (ITA)

Peter Seisenbacher (AUT)

Hector Rodriguez Torres (CUB)

Thierry Rey (FRA)

Kosei Inoue (JAP)

Neil Adams (GBR)

As principais conquistas de Aurélio Miguel

Olimpíadas

Ouro - Seul 1988

Bronze - Atlanta 1996

Mundial Adulto

Bronze - Essen 1987

Prata - Hamilton 1993

Prata - Paris 1997

Mundial Júnior

Ouro - Mayaguez 1983

Jogos Pan-Americanos

Prata - Caracas 1983

Ouro - Indianápolis 1987