Interaja - Compartilhe


Assista



Essa Luta Muda SP
Instagram

 
Aurélio Miguel conta sua trajetória no esporte



Aurélio Miguel é presença ilustre no JUBs 2015. O ex-judoca, multicampeão e medalhista olímpico está intimamente ligado ao esporte universitário brasileiro, agora também como dirigente. Presidente da Federação Universitária Paulista de Esportes – FUPE, Aurélio falou sobre a importância do esporte na vida do atleta e sobre o judô no JUBs 2015 para o site da CBDU. Confira abaixo a entrevista
completa.

      Nos conte um pouco mais sobre a sua trajetória no judô.
    No judô comecei bem cedo, com cinco anos de idade. Na verdade, a minha iniciação no esporte foi para garantir o benefício da minha saúde. Nas minhas primeiras competições, me assustei e não quis competir, fugi. Daí, vieram outras competições e eu comecei pra valer. Participei do Campeonato Paulista, do Campeonato Brasileiro e do Campeonato Estudantil Brasileiro, e fui pegando gosto pelas competições.    Também comecei a ter contato com os atletas da seleção olímpica e sonhei um dia participar das Olimpíadas, mas para isso eu passei por várias etapas: Mundial Júnior, Mundial Universitário, Jogos Pan-Americanos. Até que consegui chegar às Olimpíadas, disputei três: ganhei em Seul o primeiro ouro do Brasil no judô, em 88; em 92, em Barcelona, me machuquei e fiquei em quinto lugar; depois em Atlanta fiquei com a medalha de bronze.

    Como era sua rotina de atleta?
    Eu treinava em média, sempre duas vezes ao dia e às vezes até três pra fazer a parte técnica, porque o treino é uma das bases pra qualificação do atleta. 

    O que você faz atualmente na carreira do esporte?
    Sou presidente da Federação Paulista Universitária. Estamos estruturando o esporte universitário em São Paulo, em diversas modalidades.

  Há um tempo, o judô era um esporte relacionado apenas à prática masculina. Você acredita que atualmente as mulheres têm alcançado um espaço mais amplo nessa modalidade?
    Os campeonatos oficiais do judô feminino começaram em 1980 e, na época, o envolvimento das mulheres era muito recente, até engrenar e ganhar espaço levou um tempo. Mas o Brasil hoje cresceu muito no judô feminino, tem tido bons resultados e a expectativa é de que nos Jogos Olímpicos aqui no Brasil, o feminino tenha um resultado melhor que o masculino, inclusive.

    No que você acredita que o esporte acrescenta na vida de um atleta?
    Eu acredito que o esporte de uma maneira geral ajuda muito na questão da disciplina. O judô, por ser um esporte oriental, traz essa questão à tona e isso contribui muito para a sua posição em relação às suas responsabilidades, porque no judô isso é bem rígido, de forma positiva. Sobre o esporte de modo geral, acredito que ajude na questão da sociabilidade, você aprende a enfrentar desafios, a ganhar e a perder, pois toda hora isso acontece na vida. 

  Dê a sua opinião de uma visão geral do judô no JUBs 2015.
    O judô está bom, bem interessante, com vários atletas que são tecnicamente bons. A gente observa que todos os Estados cresceram na prática da modalidade e hoje não conseguimos apontar favoitos. Qualquer atleta, de qualquer Estado pode vencer e isso é ótimo para o crescimento do reconhecimento do judô no país.   O ex-judoca deu também entrevista à TV JUBs. Veja a entrevista completa de Aurélio Miguel no JUBs 2015.

Fonte: CBDU